Uncategorized

Arquivos na Rede – Guia Rápido

Uma das formas mais inteligentes de se armazenar arquivos é colocá-los da Rede, de modo a que sejam acessíveis por qualquer máquina. Para isso, utiliza-se um NAS (Network Attached Storage): sistema de armazenamento desenvolvido especialmente para lidar com arquivos e acessível via LAN através do protocolo TCP-IP. Na prática, um NAS é um aparelho que contém um ou mais discos rígidos (HDs) e que é ligado no seu roteador (com ou sem fio).

Há outras formas de armazenamento externo, como HDs que se conectam a PCs via USB ou Firewire – DAS (Direct Attached Storage). Mas, essas formas só permitem que se conecte a um PC de cada vez, o que não as tornam soluções práticas e escaláveis, independe da quantidade de equipamentos que sua rede contenha.

De forma resumida, as vantagens de se acrescentar um NAS na rede são:

  1. Acesso liberado para qualquer máquina na rede
  2. Backup simplificado e com custo baixo
  3. Fim da duplicidade de arquivos entre máquinas
  4. Escalabilidade da capacidade de armazenamento
  5. Baixo consumo energético se comparado a manter um PC ligado para servir arquivos

Ao se programar rotinas de backup, os arquivos de n máquinas podem ser copiados para o NAS. Há vários programas especializados para isso e dependendo do NAS comprado, este já traz uma solução de backup incorporada. Via de regra, o backup em mídia magnética (HDs) é mais caro que em mídia ótica (CDs, DVDs e Blu-ray Discs), mas não há a chatice de manejar vários discos, e guardá-los em caixas, prateleiras e depois ter que achar os arquivos neles quando se precisa!

Uma casa com dois computadores, pode se beneficiar em colocar as fotos da família na rede, de modo a que ambas as máquinas possam acessá-las com facilidade, sem precisar que para isso dupliquem as fotos. O mesmo para músicas e vídeos. Alguns modelos permitem que sejam servidos arquivos de mídia diretamente (media streaming) para consoles de videogames mais modernos (PS3, XBOX 360 e Wii) e outros PCs da rede.

Alguns NAS podem conter slots para mais de um HD. Dessa forma, é possível aumentar a capacidade global de armazenamento acrescentando mais HDs ou os substituindo por modelos de maior capacidade.
Qualquer que seja o modelo do NAS, este consome sempre menos energia do que um computador completo consumiria para servir arquivos na rede.

Uma coisa importante que é preciso ter em mente é que o acesso aos dados de um NAS é sempre mais lento que os em um HD interno (e que de um DAS também). Portanto, não indico NAS para que quiser trabalhar em arquivos pesados diretamente na rede (ex: edição de vídeo ou imagens). Nesse caso, há soluções mais apropriadas (e caras).

Abaixo, um pequeno comparativo de quatro modelos de NAS que encontramos no mercado:

NAS Fabricante Vantagem Desvantagem Preço
DNS-343 D-Link Design Lançamento muito recente, ainda não foi avaliado USD 509 (sem HDs)
Media streaming
Painel em OLED para mostrar funções
Preço
Servidor de impressora
Software de Bakup incluso
Tamanho
Drobo + Drobo Share Data Robotics 2 x Firewire 800 + 1 USB 2.0 Sem media streaming USD 700 (sem HDs)
Alertas programados por email Preço
Comunidade de desenvolvedores (significa que programas acessórios virão em breve)
Configuração simples e fácil para leigos
Design
Tamanho
Ethernet Disk RAID LaCie 2 portas Gigabit Ethernet Sem software de backup USD 849 (com 1 TB)
Tamanho
Design
Configuração complexa
ReadyNAS NetGear 3 portas USB 2.0 Configuração complexa USD 1000 (sem HDs)
Alertas programados por email Tamanho
Inclui gerenciador de backup Preço
Media streaming Design
Servidor de impressora
Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s