Mercados

Economistas na Internet

Illustration by S. Kambayashi for The Economist
Ilustração de S. Kambayashi para a The Economist

Google e Yahoo! estão cheios de economistas

Você sabia que o renomado economista norte-americano Hal Varian é o Economista-Chefe do Google? Para começo de conversa, provavelmente você, como eu, nem sabia que existia esse cargo. Pois é, atrás do poder do Google existe muita teoria econômica. Se quiser saber mais, leia esse post e se aprofunde sobre o Googlenomics.

Qual a formação do presidente do Yahoo! América Latina? Economista. Guilherme Ribenboim além de gente se graduou na PUC como eu e quando fazia mestrado foi meu monitor e depois professor. Bons tempos…

Primeiro contato com a internet

Quando entrei na faculdade em 1995, jamais imaginava que faria carreira na internet. Aliás, a internet comercial na época estava engatinhando. Me lembro que no primeiro período, para dar subsídios a uma pesquisa para um trabalho de grupo, utilizei minha conta na Compuserve, acessando via RENPAC a 14.400 kbps. Resultado, mais de 100 dólares de conta que algumas pessoas do meu grupo se recusaram a pagar. Minha primeira experiência mais intensa na internet me deu um prejuízo alto para a época, mas me mostrou que a rede não era só para brincadeira e que havia todo um conteúdo que poderia nos servir e ajudar. A propósito, tirei 10 no trabalho.

Ainda assim, mesmo sabendo que fatalmente utilizaria a internet como fonte de pesquisa, só imaginei que ganharia dinheiro com a rede depois de me formar. Em 1999, no auge da bolha, meu sangue empreendedor entrou em ebulição. Juntamente com conhecidos, começamos a conversar sobre idéias e possíveis projetos. Desse longo e duradouro brainstorm, fomos descartando os projetos que necessitavam de muito investimento e acabamos focando em pure players. Você deve estar se perguntando o porquê do título desse artigo e agora começará a entender.

Um pouco sobre a teoria econômica

Como economista, me fascina o poder de abstração dos modelos teóricos. Para realizar os estudos, frequentemente isolamos as causas a fim de focarmos nos objetos dos estudos. A teoria funciona perfeitamente se “tudo mais for constante”. A analogia perfeita é um mapa. O mapa nada mais é do que uma simplificação da realidade. Diminuímos seu tamanho, retiramos elementos desnecessários, focamos nas ruas e o fazemos em 2-D. Imaginem um mapa realístico. Seria uma verdadeira cópia da realidade e impossível de ser consultado, concordam?

O problema é que algumas das premissas que utilizamos na economia são um pouco forçadas. A principal é que os agentes são racionais. Como bem identificou Paul Krugman os agentes não são 100% racionais, o que explica o surgimento de bolhas especulativas, euforias e efeitos-manada. Outra premissa forte é que os mercados são realmente competitivos. Essa premissa é mais debatida e já possui uma enormidade de teorias relacionadas.

Varejo offline versus e-commerce

No varejo tradicional (brick and mortar), sabemos que há concentração de mercado e que há alguns outros fatores que não apenas os preços que fazem o consumidor escolher essa ou aquela loja para realizar suas compras. O marketing tem forte atuação e o Ponto tem enorme peso – por comodidade, às vezes escolhemos comprar numa determinada loja, mesmo sabendo que pode não ser a opção mais vantajosa.

Mas no varejo online (e-commerce), apesar de todas as lojas estarem a um clique de distância, ainda assim não necessariamente os consumidores escolhem a loja que comercializa com o menor preço o produto que estão buscando. Novamente o marketing se faz presente e influencia o consumidor.

Bondfaro, a origem

Do brainstorm, chegamos ao Bondfaro – um site de pesquisa de preços. A grande motivação do produto foi justamente eliminar as imperfeições do mercado e extrair dinheiro nisso. Somente na internet é possível criar um banco de dados completo, que lista milhares milhões de produtos de lojas online, permitindo que consumidores façam pesquisas de preço instantâneas e assim tenham nas mãos as informações para realizarem uma compra consciente. No longo prazo, tudo mais constante, o aumento do uso de sites de pesquisa de preços força uma queda nos preços dos produtos, na medida em que estimula a concorrência das lojas ao cortar grande parte do apelo de marketing. Numa simples ordenação de preços, uma loja papai-mamãe pode ter mais destaque que um grande magazine.

O negócio deu tanto certo que, apesar do estouro da bolha, cresceu e se tornou um dos maiores destinos do e-commerce brasileiro após a compra de um dos maiores concorrentes em 2005. Em 2006, promovemos a fusão com o Buscapé e com isso consolidamos a posição do último como o maior intermediário de comércio eletrônico da América latina.

Help Saúde, na mesma linha do Bondfaro mas um pouco diferente

O Help Saúde tem como objetivo atuar em outro mercado totalmente diferente e tem como objetivo primordial intermediar a relação entre profissionais de saúde e pacientes. Analogamente ao Bondfaro, no Help Saúde os usuários não pagam para acessar o site e as receitas são provenientes dos profissionais de saúde.

Os sites de pesquisa de preços atuam como mais uma forma de divulgação para as lojas. Têm como competidor qualquer outro canal de propaganda como o Google (AdWords), e veículos de mídias mais tradicionais (TV, jornais, etc). Na prática, ao planejar uma campanha, as lojas distribuem a verba entre todas as possibilidades. X% em internet, Y em TV e por aí vai. Na verba de internet, um pedaço vai para os sites de pesquisa de preços.

O Help Saúde precisa entrar num passo anterior no mercado de saúde. Precisa primeiro oferecer uma presença na rede para os profissionais de saúde. Pesquisas indicam que a maioria dos pacientes já utiliza a internet como fonte para aprendizado sobre doenças, sintomas. Em outras palavras, o paciente já está na internet e chegou antes dos profissionais de saúde.

Concomitantemente ao colocar profissionais de saúde na web, o Help Saúde se torna um portal que concentra tráfego de pacientes interessados em saúde. O site é, em outras palavras, um grande market place onde prestadores de saúde e pacientes se encontram. Os prestadores apresentam quais serviços oferecem e os pacientes buscam os serviços que mais se aproximam as suas necessidades.

A grande vantagem de ser um market place é que a gestão da presença online torna-se acessível aos profissionais de saúde. Sem precisar gastar muito (tanto tempo como dinheiro), o prestador passa a ter um site com tráfego garantido. É como se terceirizasse suas campanhas de marketing, já que o Help Saúde já conta com uma estratégia ativa de marketing para seus clientes.

Lutando contra outra imperfeição do mercado

Vamos pegar o exemplo de um médico recém formado. Depois de um vestibular (ENEM) difícil, e uma faculdade também puxada, o profissional cai num mercado de trabalho altamente disputado. Para iniciar sua carreira e se divulgar, o recém-formado, via de regra, precisa se associar a um plano de saúde. Desta forma é assegurado um fluxo de pacientes em seu consultório, no entanto isso implica em receber um valor baixo por consulta realizada (cerca de R$30).

E qual a razão para tantos médicos se associarem diariamente aos planos de saúde mesmo recebendo tão pouco por consulta se compararmos com a consulta normal? Porque não há alternativa no mercado para prestadores se divulgarem. Em outras palavras, o mercado está totalmente desbalanceado a favor dos planos de saúde. O Help Saúde vem a, justamente, dar outra opção aos profissionais de saúde, sobretudo aos recém formados, para que alcancem os pacientes sem precisarem abrir mão do seu valor de consulta.

Mas não pense, leitor, que os planos de saúde são nossos inimigos. Seria uma estratégia muito míope tentar brigar com essas empresas estabelecidas. Na verdade, o que o Help Saúde faz é atingir os profissionais que não foram seduzidos pelas propostas dos planos de saúde e que, portanto, não se tornaram associados. Além disso, mesmo já sendo credenciado a algum plano, o profissional se interessa a aumentar seu fluxo de pacientes. Do lado do plano de saúde, o Help Saúde é mais uma forma de divulgar seus associados, aumentando a satisfação de seus clientes. Afinal, utilizar o Help Saúde é muito mais fácil que procurar naquele livrinho que você nunca encontra ou mesmo usar os sites dos planos de saúde, né?

Advertisements
Standard